terça-feira, 1 de março de 2011

Rios da Babilônia (Salmo 137)

Junto aos rios da Babilônia
Nos sentamos e choramos
Ao lembrarmos de Sião
Lá os que nos aprisionavam
Pediam canções

Mas como poderíamos cantar
Cantos do Senhor em terra estranha?

Se eu me esquecer de ti, Jerusalém
Que seque a minha mão direita
Que minha língua se apegue ao paladar
Se eu não me lembrar de ti,
Se não for Jerusalém
A minha maior alegria!

Ó devastadora babilônia
Justiça seja feita
Pelo mal que fizestes à nós

(Francine Cruz)

Um comentário:

  1. Queria ser tão religioso como você e tantos outros......Não consigo.

    ResponderExcluir