terça-feira, 28 de dezembro de 2010

PERDÃO E MISERICÓRDIA NO SALMO 50 (51)

As festas de final de ano sempre são um momento propício de reflexão e meditação. É nessa época que fazemos um grande balanço de nossa vida, nossas atitudes, e etc. E, como não somos perfeitos, claro que ao longo do ano cometemos muitos erros, alguns por omissão, alguns por egoísmo, enfim, errar e humano, perdoar é divino. Reconhecer nossa culpa e pedir perdão é a maneira de chegarmos mais perto d o coração de Deus, por isso eu trago hoje a vocês o salmo 50.

O salmo 50 (51 em algumas traduções) é um belíssimo salmo de perdão e misericóridia e, não a toa se chama "Miserere". Ele é o quarto dos salmos penitenciais e contém três partes principais: confissão do pecado, feita sem restrição nem recusa; o pedido de remissão; e a glória dada a Deus pelo perdão. A última estrofe expõe uma doutrina particularmente elevada sobre a verdadeira religião, cujo culto só é bom quando conta com a adesão do coração. (Bíblia Ave Maria)

Foi esse salmo que o Frei Francisco, monge do mosteiro Trapista Nossa Senhora do Novo Mundo (Campo do Tenente, PR), me aconselhou a rezar após minha confissão. E eu aconselho a todos que leiam e meditem nele, pois sem dúvida encontrarão muita paz!

1. Ao mestre de canto. Salmo de Davi,

2. quando o profeta Natã foi encontrá-lo, após o pecado com Betsabé.
3. Tende piedade de mim, Senhor, segundo a vossa bondade. E conforme a imensidade de vossa misericórdia, apagai a minha iniqüidade.
4. Lavai-me totalmente de minha falta, e purificai-me de meu pecado.
5. Eu reconheço a minha iniqüidade, diante de mim está sempre o meu pecado.
6. Só contra vós pequei, o que é mau fiz diante de vós. Vossa sentença assim se manifesta justa, e reto o vosso julgamento.
7. Eis que nasci na culpa, minha mãe concebeu-me no pecado.
8. Não obstante, amais a sinceridade de coração. Infundi-me, pois, a sabedoria no mais íntimo de mim.
9. Aspergi-me com um ramo de hissope e ficarei puro. Lavai-me e me tornarei mais branco do que a neve.
10. Fazei-me ouvir uma palavra de gozo e de alegria, para que exultem os ossos que triturastes.
11. Dos meus pecados desviai os olhos, e minhas culpas todas apagai.
12. Ó meu Deus, criai em mim um coração puro, e renovai-me o espírito de firmeza.
13. De vossa face não me rejeiteis, e nem me priveis de vosso santo Espírito.
14. Restituí-me a alegria da salvação, e sustentai-me com uma vontade generosa.
15. Então aos maus ensinarei vossos caminhos, e voltarão a vós os pecadores.
16. Deus, ó Deus, meu salvador, livrai-me da pena desse sangue derramado, e a vossa misericórdia a minha língua exaltará.
17. Senhor, abri meus lábios, a fim de que minha boca anuncie vossos louvores.
18. Vós não vos aplacais com sacrifícios rituais; e se eu vos ofertasse um sacrifício, não o aceitaríeis.
19. Meu sacrifício, ó Senhor, é um espírito contrito, um coração arrependido e humilhado, ó Deus, que não haveis de desprezar.
20. Senhor, pela vossa bondade, tratai Sião com benevolência, reconstruí os muros de Jerusalém.
21. Então aceitareis os sacrifícios prescritos, as oferendas e os holocaustos; e sobre vosso altar vítimas vos serão oferecidas.
(Bíblia Ave Maria)

Um Feliz e Santo Natal a todos, e um Ano Novo repleto de paz!

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Papa afirma: Misericórdia de Deus é mais poderosa que o mal

Texto escrito por Leonardo Meira, extraído do site Canção Nova: http://noticias.cancaonova.com/noticia.php?id=279280


No dia em que a Igreja celebra a Solenidade da Imaculada Conceição de Maria, o Papa reuniu-se com os fiéis na Praça de São Pedro para a tradicional oração mariana do Angelus, nesta quarta-feira, 8.

"O mistério da Imaculada Conceição é fonte de luz interior, de esperança e de conforto. Em meio às provas da vida e especialmente das contradições que o homem experimenta dentro de si e em torno a si, Maria, Mãe de Cristo, diz-nos que a Graça é maior que o pecado, que a misericórdia de Deus é mais poderosa que o mal e sabe transformá-lo em bem", ressaltou.
O encontro com os peregrinos aconteceu a partir da janela de seu escritório particular no Palácio Apostólico Vaticano, às 12h (em Roma - 9h no horário de Brasília).
O Pontífice afirmou que a saudação do Anjo Gabriel - "Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo" - indica o nome com o qual Deus mesmo conhece Maria: "cheia de graça". Bento XVI propôs essa expressão como chave de explicação do mistério da Imaculada Conceição da Virgem:
"De fato, Maria, desde o momento em que foi concebida por seus pais, foi objeto de uma singular predileção da parte de Deus, o qual, no seu plano eterno, predestinou-a para ser mãe do seu Filho feito homem e, por consequência, preservada do pecado original".
Logo após, o Bispo de Roma recordou que a Sagrada Escritura ensina que a origem de todo o mal está na desobediência à vontade de Deus. "Mas Ele não falha em seu plano de amor e vida", atesta o Pontífice, indicando que Deus preparou um longo e paciente caminho de reconciliação para a aliança nova e eterna.
Por fim, rogou: "Ela [Maria] ajude-nos, sobretudo, a ter fé em Deus, a crer na sua Palavra, a rejeitar sempre o mal e a escolher sempre o bem".